Quando estamos nos ensinos fundamental e médio aprendemos nas instituições de educação, na matéria denominada estudos amazônicos, que nós, paraeneses, somos o maior importador de energia da união. Em solo parauara, há duas das 5 maiores hidroelétricas do mundo, Tucuruí e Belo Monte. Mesmo assim, com todo esse potencial energético, os moradores do segundo maior estado em extensão territorial do brasil, são obrigados a pagar e energia mais cara do país. Se não bastasse tudo já citado, a partir de agosto, o consumidor paraense irá pagar ainda mais pela energia.

Recentemente a Equatorial Energia enviou documentos para à Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), demonstrando os dados dos custos operacionais da concessionária no Estado. Esse reajuste irá impactar o bolso de mais de dois milhões de pessoas, ficando 2,68% mais cara.


O morador de Ananindeua Everson da Silva fala de como esse reajuste irá impactar  negativamente o custo de vida ao final do mês, “Eu realizei um curso recentemente, a onde foi repassada a informação do quanto que o Pará contribui para a questão energética do Brasil. Todo mês é um reajuste novo repassado para a população, sinceramente não sei a onde iremos parar”, comentou.

O aumento da tarifa energética no Pará, foi maior que a inflação registrada nos últimos 12 meses, que ficou em 2,5%. Segundo cálculos do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese-PA).

Rodolfo Sousa, da Redação.