De acordo com o Código Penal Brasileiro, “praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito” em razão da orientação sexual da pessoa poderá ser considerado crime, com pena prevista de três anos e multa.

Após sofrer por anos com  homofobia dentro e fora dos estádios, o ex-jogador Richarlyson rompeu o silêncio e abriu o jogo sobre sua sexualidade.

Em entrevista a um podcast, o ex-atleta falou que já se relacionou com homens e com mulheres e como lidava com as especulações feitas sobre sua vida sexual. 

“A vida inteira me perguntaram se sou gay. Eu já me relacionei com homem e já me relacionei com mulher também. Só que aí eu falo hoje aqui e daqui a pouco estará estampada a notícia: ‘Richarlyson é bissexual’. E o meme já vem pronto. Dirão: ‘Nossa, mas jura? Eu nem imaginava’. Cara, eu sou normal, eu tenho vontades e desejos. Já namorei homem, já namorei mulher, mas e aí? Vai fazer o quê? Nada”, disse no podcast.

LEIA TAMBÉM:

Homofobia: Flamengo é denunciado por grupo LGBTQIA+

Anti-homofobia no futebol vira tema de mestrado na UFPA

Clubes juntam forças na web contra a Homofobia

O ex-jogaodor continuou desabafando se vai mudar algo sobre o assunto após a revelação: “Vai pintar uma manchete que o Richarlyson falou em um podcast que é bissexual. Legal. E aí vai chover de reportagens, e o mais importante, que é pauta, não vai mudar, que é a questão da homofobia. Infelizmente, o mundo não está preparado para ter essa discussão e lidar com naturalidade com isso”.

As insinuações de que o atleta era homossexual iniciaram em 2007, quando José Cyrillo Júnior, ex-dirigente do Palmeiras, deu a entender em uma entrevista coletiva, que o jogador era gay. Após o episódio, Richarlyson entrou com uma queixa-crime e o cartola se desculpou publicamente.

E MAIS – FLAMENGO SE PREPARA PARA ENCARAR O AMÉRICA-MG NO BRASILEIRÃO

Read More