Foto: Eduardo Marques

Se estivesse vivo, Paulo Freire estaria completando 100 anos. Mas para quem trabalha com educação o legado deixado por ele continua vivo.

As educadoras Gleice e Marizete, por exemplo, se uniram na escadinha do Cais do Porto, para celebrar 100 anos do Educador Paulo Freire.


Em seguida, em clima de alegria e festa, eles saíram em caminhada pela avenida Presidente Vargas, centro de Belém, até a Praça da República, onde houve show em homenagem ao patrono da educação brasileira.

Por trás da grande festa há um motivo preocupante a ser superado. Segundo a secretária de educação, Marcia Bittencourt, Belém tem cerca de 11 mil analfabetos e a meta da Secretaria Municipal de Educação é zerar essa triste realidade.

A caminhada do domingo reafirmou a importância da filosofia deixada por Paulo Freire: “a escola estimular o pensamento livre e crítico do aluno”.