A contusão que tirou o atacante Magno da partida do último sábado (22), contra o Brasil-RS, já não é mais motivo de preocupação para o atleta e, principalmente, para o técnico Marquinhos Santos. O fato de Magno ter sido substituído por Rodrigo, devido a lesão que sentia em um dos tornozelos, chegou a colocar em xeque a participação do atleta no jogo de sexta-feira (28), contra o Ceará-CE, no Mangueirão. Contudo, ontem, o próprio atacante, que se exercitou com o restante do elenco, assegurou que já está curado e, portanto, em condições de jogo.

“Fui medicado logo após o jogo e já estou quase 100% recuperado”, anunciou Magno, que participou da atividade física do elenco, ontem pela manhã, na Curuzu. “Foi apenas uma pancada que acabou inchando o meu tornozelo, mas esse inchaço já está sumindo e eu tenho sim condições de jogo”, explicou o jogador. Sobre o fato de ainda não ter balançado a rede, função de qualquer atacante, Magno acredita que está bem perto de marcar o seu primeiro gol com a camisa do Papão.

“Acredito que o gol está amadurecendo e logo, logo vou poder marcar com a camisa do Paysandu e dar alegria ao torcedor”, previu. Caso venha a enfrentar o Ceará, o que parece bem provável, Magno completará seis jogos com a camisa bicolor em praticamente um mês de Curuzu. “Embora ainda não tenha conseguido fazer gol, acredito que tenho dado minha colaboração ao time”, ressaltou. “Sento-me feliz aqui no Paysandu, um clube que me recebeu de braços abertos e que estou procurando retribuir essa confiança dentro de campo”, declarou.

O fato de o Papão ter voltado a se aproximar da zona de rebaixamento, após a derrota frente ao Brasil, na rodada passada da Série B, não abalou o otimismo do atacante quanto ao futuro do Papão na competição. “A gente gostaria de estar numa posição bem melhor, sem dúvida, mas creio que nossa equipe ainda vai melhorar muito e terminar o campeonato com o nosso objetivo, que é o acesso, alcançado, com certeza”, discursou o atacante, uma das poucas apostas da diretoria bicolor no futebol local.


E MAIS…

Se o atacante Magno deixou de ser motivo de preocupação, o técnico Marquinhos Santos tem, agora, apenas um desfalque para enfrentar o Ceará-CE: o zagueiro Fernando Lombardi, punido com o terceiro cartão amarelo e que cumprirá suspensão automática de uma partida. O treinador já vem estudando quem ocupará a posição, tendo ao seu dispor duas peças de reposição: o ex-titular Perema e o novato Diego Ivo, recém-contratado pelo clube.

Papão ainda corre atrás de reforços para a Série B

Embora já tenha trazido, só este ano, um total de 29 jogadores para a Curuzu, sendo o último deles o zagueiro Diego Ivo, que ainda não estreou pelo clube, o Paysandu ainda não dá por encerrado o ciclo de aquisições para o restante da temporada. A direção bicolor caça, agora, um atacante, conforme informou, ontem, o diretor Abelardo Serra. “Estamos tentando um jogador da posição que atue pelas beiradas”, explicou.

O nome de Vinícius Tanque, do Botafogo-RJ, chegou a ser ventilado na Curuzu, mas, de acordo com o cartola, já não faz mais parte dos planos. “Pelo menos por enquanto não temos interesse em trazer esse atleta”, declarou Serra. O dirigente salientou que, após fechar com o atacante, que tem a prioridade da diretoria, o Papão poderá até fechar um zagueiro e um lateral-esquerdo.

“É possível que esses atletas sejam contratados, afinal temos necessidade de qualificar ainda mais o grupo que temos no momento”, justificou o diretor. Serra ressaltou que as contratações estão sendo estudadas com calma já que o prazo para inscrição de jogadores na Série B só termina em meados de setembro. “Por isso estamos tendo bastante paciência”, argumentou.

(Nildo Lima/Diário do Pará)