Nesta terça-feira (15), o estádio Evandro Almeida, o Baenão completa 100 anos e com ele, várias histórias ocorreram na praça esportiva remista. Veja alguns momentos históricos do estádio remista.

NOME DO ESTÁDIO: Evandro Almeida (Baenão)

FUNDAÇÃO: 15/08/1917

1º JOGO: Reserva Naval X Seleção Paraense

1º JOGO DO REMO: Remo 3X1 Panther – 02/09/1917 – Campeonato Paraense

1º GOL DO REMO NO ESTÁDIO – Dudu

(Estátua do Leão é marca registrada do estádio Baenão. Foto: Julio Martins / Acervo Pessoal)

HISTÓRIA

15/08/1917 – Inauguração com capacidade para 2.500 pessoas


20/01/1926 – Com times de segundo quadros (espécie de times reservas), o Baenão recebia o clássico Remo X Paysandu. O Remo venceu por 7 a 0, em um resultado que muitos acreditam como maior goleada azulina na história do Re-Pa.

26/05/1935 – Reinauguração do estádio com capacidade maior. O Remo vencia o maior rival, por 5 a 4, em jogo amistoso.

15/08/1940 – Inauguração dos refletores do estádio Baenão

15/08/1962 – Inauguração dos túneis de jogadores, arbitragem e reforço dos alambrados.

29/04/1965 – O Rei Pelé pisa no gramado azulino. Em jogo amistoso, o estádio Baenão ficou lotado para o jogo Remo 4X9 Santos-SP.

04/08/1965 – O Conselho deliberativo do Remo decidiu nomear o estádio para Evandro Almeida, em homenagem ao ex-atleta e benemérito do clube, falecido um ano antes.

08/08/1968 – Eusébio, o “Peróla Negra” veio com o Benfica para jogar uma partida amistosa contra o Remo. O placar foi de 1 a 1, com o Baenão lotado, no jogo festivo das faixas de campeão paraense de 68.

14/02/1969 – Ao vencer o Piauí-PI por 2 a 1, o Remo conquistava o título da Copa Norte de Futebol, dentro de casa.

09/12/1971 – Com Baenão lotado, o Remo derrotou o Itabaiana-SE por 2 a 0 e conquistava o título de campeão Norte/Nordeste de Futebol, o que levou o Leão a disputar as finais do torneio equivalente a segunda divisão.

13/09/1972 – Baenão lotado para ver o jgador mais caro do país. O meia Gerson, que atuava pelo Vasco. O empate em 0 a 0 não foi de menos. O fato triste do jogo foi a queda do alambrado que fica para a travessa 25 de Setembro, ferindo vários torcedores.

25/08/1973 – Na estreia em Campeonato Brasileiro da Série A, o Paysandu não pode utilizar o estádio da Curuzu. O jeito foi utilizar o estádio do rival e derrotou o Internacional-RS, por 2 a 1.

07/09/1976 – O estádio registrava o seu maior público da história. Com 33.487 pagantes, o Remo venceu o Paysandu por 5 a 2 pela Taça de Ouro (Campeonato Brasileiro da Série A).

20/10/1987 – Em duelo contra o Millionários, um dos grandes times na época, o Remo venceu a equipe colombiana por 2 a 0.

07/11/1990 – A seleção brasileira, que vinha atuar pela primeira vez em Belém parou a capital para treinar no estádio remista. Os mais vigiados pelo torcedor era o então atacante Neto e o treinador da seleção, Paulo Roberto Falcão.

1991 – Em um clássico Re-Pa, a partida terminou com muita confusão. Torcedores invadiram o gramado para brigar e a Polícia teve muito trabalho. O saldo foi de vários torcedres feridos.

13/06/1992 – O Baenão foi palco de um título brasileiro. A Tuna venceu o Fluminense-BA por 3 a 1 e sagrou-se campeão brasileiro da Série C.

12/06/1994 – O Remo recebia outro time português. O BoaVista enfrentou os azulinos, que venceram por 4 a 1. Dias depois, o time português levou o atacante Alex Dias, que acabou artilheiro do Leão na campanha do bicampeonato paraense.

03/10/1996 – Outra vez, o Paysandu teve que jogar no estádio do rival. A vitória por 3 a 2 sobre o Moto Clube-MA livrou o Papão da queda para a Série C.

14/11/2001 – Não era jogo do dono da casa, o Remo, mas Tuna X Paysandu jogavam pela Série B de 2001. Ao marcar o primeiro gol, o atacante Albertinho atravessou o gramado inteiro do Baenão para colocar a camisa bicolor na estatua do Leão no Baenão. Atitude reprovada pelos remistas, que lavaram a estátua no dia seguinte.

10/08/2002 – Baenão recebia o show da dupla Sandy e Junior, com um público de 10 mil pessoas.

31/01/2006 – Com Baenão lotado, o Remo venceu o São Raimundo por 2 a 1 pelo Parazão. O jogo ficou marcado pela festa da torcida, que recebia a taça de campeão brasileiro da Série C.

12/08/2012 – A vitória por 4 a 0 sobre o Náutico-RR foi o último jogo do Remo no Baenão, em jogos válidos pelo Campeonato Brasileiro.

01/05/2014 – O estádio remista recebia seu último jogo oficial. Remo 4X0 Independente, pelo Campeonato Paraense.

(DOL)