Tsunami e Rodrigo Andrade mostram valor da base dos clubes (Foto: Mário Quadros e Fernando Torres)

A decisão do título Paraense de 2017 entre Clube do Remo e Paysandu terá dentro de campo alguns valores revelados nas categorias de base dos dois clubes. Pelo lado azulino, o polivalente Tsunami tentará ser campeão, já com a camisa bicolor estará o volante Rodrigo Andrade, tentando o Bicampeonato.

 Os dois garotos, nesta temporada, ao contrário dos anos anteriores, ganharam de fato a chance na onzena principal de seus clubes. Tsunami, seja no meio, no miolo de zaga ou na lateral-esquerda, sempre esteve entre os titulares da equipe de Josué Teixeira, com a raça e vontade de sempre. Rodrigo Andrade, no meio de campo do Paysandu, também jogou bastante este ano chegando a balançar as redes no primeiro Re-Pa e tendo diversas vezes a preferência na hora de Marcelo Chamusca montar a escalação titular.

 Tsunami já foi campeão paraense, porém, ele afirma que levantar a taça este ano terá um gostinho diferente. Afinal, estará realizando um desejo. “Eu queria realizar o meu sonho de ser campeão jogando, sendo titular, como estou fazendo este ano. E vou me empenhar, com meus companheiros, para conseguir a vitória e sair de campo com o título”, planeja o azulino.

 QUER DE NOVO

 Já Rodrigo Andrade conta que foi uma experiência incrível ter sido campeão no ano passado, já que ele tinha acabado de subir para os profissionais. Por isso, quer repetir de novo esta dose, que ainda pode ser contra o Remo. “É sempre bom vencer do nosso maior rival. Acho que o jogo fica mais emocionante, fica mais pegado. E todo mundo joga com o coração dentro de campo”, afirma o volante bicolor.


Estar na decisão é sonho que vem da infância

Rodrigo Andrade, ainda criança, já se imaginava no gramado da Curuzu, com o estádio lotado, vendo a torcida do Paysandu gritando o nome dele. “Eu sempre pensava, quando era menor. Eu ainda vou estar lá algum dia. Eu ainda jogava num time pequeno. Ai, é por etapa. Eu segui trabalhando, me trouxeram para a base do Paysandu e hoje tenho oportunidade para trabalhar”, afirma. Hoje, ele estará no Mangueirão, com 35 mil pessoas em um Clássico Re-Pa, que valerá o título de Campeão Paraense.

A cada temporada crescendo mais de produção, o volante bicolor é um dos destaques da equipe de Marcelo Chamusca. O jogador de 19 anos conta que, hoje, como um profissional, os amigos e principalmente a família, lembram de quando ele era criança e sonhava estar em campo defendendo as cores do Paysandu. “Minha mãe sempre fala para mim – ‘é, Rodrigo, lembra quando tu estavas em casa e teu sonho era jogar? Tua vez é agora. É a tua hora”, comenta o jogador.

DOIS GOLS

Rodrigo Andrade já marcou dois gols no Clássico Rei da Amazônia, um no ano passado pela Copa Verde, e um este ano, pelo Parazão. Ainda sem saber se vai ser titular, o volante quer mesmo é o título. “Muito bom se eu for titular, vou entrar e dar o meu melhor. Mas se eu não for, o companheiro que entrar, vai dar o seu melhor e vai nos ajudar”.

TORCEDOR FANÁTICO

Antes de se tornar jogador de futebol, muitos garotos eram torcedores fanáticos de seus clubes. Com Tsunami não era muito diferente. Torcedor do Clube do Remo desde pequeno, o azulino quer fazer história e marcar o seu nome para sempre no Leão. Para isso, ele quer conquistar hoje mais um título paraense para a sua carreira.

Tsunami relembra que era bem diferente quando ele era pequeno e ficava na frente da televisão vibrando pelo Remo. “A gente ficava ali, torcendo pelo clube. Até quando eu era da base, já tinha uns amigos jogando e a gente ficava torcendo por eles. É uma sensação diferente”, comenta. “E agora, poder estar em campo, dentro do gramado, realizando meu sonho e da minha família, é um prazer imenso”, diz.

Sendo um dos destaques do Remo nesta temporada, Tsunami conta que pelo tempo corrido acaba não tendo muito tempo para conversar com os amigos e familiares sobre a carreira. Mas imagina que eles tenham orgulho de sua trajetória. “Na casa da minha avó, eles ligam a televisão na hora que vai passar o jogo. Os meus amigos ficam todos lá, torcendo. E isso é muito importante para mim”, afirma.

PRONTO PRO DUELO

No quarto e último Re-Pa do ano, o azulino se diz pronto para ajudar a levar para o Baenão o troféu de Campeão Paraense. “Creio que vamos trabalhar bem, para não tomar gol ali atrás”

TSUNAMI

– Wenderson de Freitas Soares
– 04/01/96 (21 anos)
– Altura: 1,82m
– 15 jogos – 3 gols

RODRIGO ANDRADE

– José Rodrigo Andrade Ramos
– 04/06/97 (19 anos)
– Altura: 1,70m
– 18 jogos – 1 gol

(Café Pinheiro/Diário do Pará)