Um dos assuntos polêmicos no futebol é a questão do árbitro de vídeo, mas que tem feito diferença na Série B do Campeonato Brasileiro com vários erros de arbitragem.

As atuações e erros dos árbitros na Segunda Divisão tem causado dor de cabeça entre os corredores da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), mas que tem gerado um debate sobre a implantação do equipamento na Série B. As informações são da Rádio Itatiaia.

Sobre isso, o vice-presidente da CBF, Castellar Guimarães Neto falou sobre o assunto e adiantou que a implantação do VAR não depende somente dos clubes e recursos financeiros, mas sim dos estádios onde são jogados a Segundona.


“É uma questão estudada pela CBF. Não é tão simples. Obviamente envolve custos e no caso da Série B, envolve adaptação em estádios ligeiramente mais acanhados do que estádios da Série A”, adianta.

“De faro, o VAR se mostrou uma ferramenta imprescindível para se mostrar justiça no esporte. A CBF avalia com cautela para termos o VAR em um futuro próximo expandido para a Série B”, completa o dirigente.

Na segunda divisão não existe o árbitro de vídeo e isso tem causado dor de cabeça para clubes como Londrina-PR, Cruzeiro-MG, Botafogo-RJ, Remo e outras agremiações, que já foram prejudicadas pela arbitragem na competição.

(Com informações da Itatiaia)